July 18, 2018

May 25, 2018

Please reload

Posts Recentes

Reiki

December 14, 2016

1/5
Please reload

Posts Em Destaque

Sobre Inteligência Emocional: Dores e Delícias (mais Delícias que Dores, assim espero...)

April 9, 2018

 

Você já deve ter ouvido falar nesse termo e se não, sob um ponto de vista bem pessoal, ouso tecer algumas linhas sobre isso.

 

A primeira vez que ouvi sobre IE - Inteligência Emocional, há exatos 16 anos foi na Pós Graduação. Achei bem diferente o nome e confesso que me chamou bastante a atenção. Busquei saber mais do que se tratava e acabei incluindo o tema em parte da minha monografia, cujo título era "O Assédio Moral com Exercício da Inteligência Emocional". Recebi nota máxima com louvor (fiquei orgulhosa de mim mesma naquele momento...) pois quando falamos sobre algo que experienciamos, fica tudo mais claro e temos propriedade nas palavras, tem emoção e tem verdade também.

Depois disso resolvi fazer a formação em Master Practitioner em Programação Neurolinguística - PNL e lá apareceu de novo o tema, bem mais aprofundado, diga-se de passagem. Ali conheci uma das Mestras mais importantes na minha jornada de vida, a qual continua sendo minha inspiração e se tornou uma amiga querida. Regalos da jornada...

 

Mas o que se trata esse nome simpático "Inteligência Emocional" ou apenas IE?

Quantas vezes nos pegamos em uma encruzilhada e temos que decidir se devemos mentir para agradar ou sermos honestos, mesmo que desagrade o outro? Devemos seguir ou interromper? Devemos sacrificar uma vontade própria pela "ecologia" do ambiente? O que é melhor para todos? 
 

Aí entra a dobradinha Razão e Emoção, ah essa balança eterna, uma busca incessante e natural do ser humano pelos dilemas morais...

Tem várias pesquisas sobre IE mas uma específica nos EUA fala que esses dilemas são decididos com base no empenho emocional do indivíduo. E qual deve ser a melhor escolha? 
A IE fala de como as pessoas gerenciam as próprias emoções e como reagem às dos outros. Saber gerenciar e resolver conflitos não é uma tarefa nada simples, atender as necessidades das pessoas mantendo as nossas, sem atrapalhar a vida dos envolvidos. Bemmm desafiador, eu diria e isso não é aprendido em escolas regulares, e sim nas escolas da vida.

 

O inspirador e também considerado "Pai da IE" chama-se Daniel Goleman, psicólogo e escritor americano que popularizou o tema em meado dos anos 80. Ele ensina que o monitoramento (acho melhor que a palavra controle, tenho evitado cada dia mais essa palavra...) das emoções é vital para o desenvolvimento da inteligência e que temperamento pessoal não é destino. Fala que IE é a "capacidade de identificar nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos motivar e de gerir bem as emoções dentro de nós e em nossos relacionamentos" e que IE é a grande responsável pelo sucesso ou fracasso das pessoas, seja em ambientes pessoais ou profissionais. Ele defende um modelo que se dá por 5 chaves:

 

☝Autoconhecimento - quais são nossos gatilhos emocionais, o que somos capazes de fazer e de que precisamos como ajuda;
☝Autogestão - como mantemos nossas emoções monitoradas quando somos desafiados, perturbados, como controlamos as "explosões", enfrentamos divergências e evitamos a seara de autopiedade, de pânico; 
☝Motivação - somos motivados por recompensas que podem ser reconhecimento de algo, status, dinheiro e pela linha de pensamento do Pai da IE, essa motivação é para o bem da alegria de cada um, da curiosidade e até se sentir produtivo com satisfação;
☝Empatia - essa fala das emoções dos outros, uma habilidade e prática da "leitura" das emoções das outras pessoas e conseguir responder de maneira adequada, se colocar nos "sapatos do outro", sentir-se como se fosse o outro, no melhor estilo "e se fosse comigo, como eu agiria? "
☝Habilidades Sociais - tem a ver com empatia em si, saber negociar necessidades das outras pessoas e harmonizar com as nossas, em algo que seja bom para todos, o chamado consenso.

 

O mais legal da IE é que ela nos leva quase que automaticamente como influência do que pensamos sobre nossas próprias emoções. 
 

E o que é ser inteligente? Ser capaz de pensar de forma clara, com objetividade em relação às emoções e saber segurar nosso freio de mão, muitas das vezes.

Ninguém disse que seria fácil, particularmente gosto muito dessa frase e a uso para muitas coisas, e não é porque li e estudei sobre o tema que sei lidar tranquilamente, não mesmo, acredito que quanto mais nos aprofundamos no tema, mais exigimos de nós mesmos e nos monitoramos com mais atenção, pelo menos essa é minha percepção pessoal. A maturidade ensina mas dai a ser simples... nem um pouco!!!

 

Precisamos respeitar nossas emoções, nos dar o direito de sentir o que e como sentimos, respeitar nossos tempos, espaços, identificando de forma atenta, de como trabalhar nelas para que não sejamos dominados quando estiverem desequilibradas. 
Quando as emoções limitam nossa vida e bloqueiam nossa felicidade é hora de usar essa inteligência e gerenciar as emoções fazendo com que elas retornem ao nosso favor. 

 

O ato de respirar antes de sair falando para depois se arrepender pode ser uma boa estratégia. Respira e conta até um milhão se for necessário porque ao usar a IE, nossa assertividade se aflora e ajuda a enfrentar as situações desafiadoras. Expor o que precisa ser dito acontece de uma forma firme e até elegante, podemos dizer assim. Inteligência Emocional não é segurar as emoções; é usar a razão e sentir a emoção !

 

Costumo dizer que somos testados 25h por dia e por isso mesmo acredito que devemos manter nossa balança aferida para não gerar dores no estômago, não desequilibrar o chakra umbilical e ter que usar mais tempo que previsto, o Citrino por conta do estresse emocional - já falei sobre chakra em outro post e se por acaso não sabe o que é essa palavrinha, sugiro carinhosamente pesquisar pois como Terapeuta Holística, Integrativa e Complementar isso vai aparecer bem frequentemente no meu dia a dia por aqui. Quanto ao Citrino, ele é um cristal, uma Gema da Terra incrível de cor amarelada e que sou muito apaixonada por ela...

 

Que possamos buscar e encontrar nosso equilíbrio emocional diariamente, nos tornando mais afetuosos, compreensivos e gentis no trato conosco mesmo, com nossas próprias emoções e com as pessoas em nossa volta, afinal somos seres sociáveis e não está fácil pra ninguém viver nesse mundo cheinho de provocações constantes, ainda mais sem a IE, que se torna mais que necessária nessas horas.

 

Desejo de verdade que possamos usar a Inteligência Emocional de forma assertiva, não para segurar as emoções e sim usar a razão, sentir a emoção.

 

Sigamos conectados, espertos e bem inteligentes emocionalmente 💞

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Please reload

Arquivo

​©Dea Reis - Facilitadora Criativa - Criado por Merakí Comunica