ūüôŹūüćÄOs Quatro RabinosūüôĆūüíę

" Uma noite quatro rabinos receberam a visita de um anjo que os acordou e os levou para a S√©tima Ab√≥boda do S√©timo C√©u. Ali eles contemplaram a sagrada Roda de Ezequiel. Em algum ponto da descida do Para√≠so para a Terra, um rabino, depois de ver tanto esplendor, enlouqueceu e passou a perambular espumando de raiva at√© o final de seus dias. O segundo rabino teve uma atitude extremamente c√≠nica: _ "Ah, eu s√≥ sonhei com a Roda de Ezequiel, s√≥ isso. Nada aconteceu *de verdade* " _ O terceiro rabino falava incessantemente do que havia visto, demonstrando sua total obsess√£o. Ele pregava e n√£o parava de falar no projeto da Roda e no que tudo aquilo significava... e dessa forma ele se perdeu e traiu sua f√©. O quarto rabino, que era poeta, pegou um papel e uma flauta, sentou-se junto √† janela e come√ßou a compor uma can√ß√£o atr√°s da outra, elogiando a pomba do anoitecer, sua filha no ber√ßo e todas as estrelas do c√©u. E da√≠ em diante ele passou a viver melhor. " (Est√©s, Clarissa Pinkola ‚Äď Mulheres que Correm com os Lobos: Mitos e Hist√≥rias do Arqu√©tipo da Mulher Selvagem ‚Äď Rocco ‚Äď Rio de Janeiro, 1994 p. 49 ISBN 85-325-0444-2).

Por ser integrante há quase 5 anos da Roda de Lobas, grupo de mulheres que lêem e estudam esse livro maravilhoso da Clarissa, que buscamos juntas o resgate à nossas origens e o autoconhecimento, acredito piamente que grande parte do que vivenciamos é por questão de escolhas, algumas vezes podem ser até dilemas.

Que tenhamos então sabedoria para fazer as melhores escolhas que podemos para aquele determinado momento, sempre que possível. Aha, Aho !


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo